Edição Europa

2019 Número 1

Literatura

The hunger games

Há um par de semanas viajei a Buenos Aires com a família. Os interesses dos expedicionários eram diversos, mas a palavra empenhada marcava a pauta e a agenda. As expectativas de ir ao Estádio do Boca a ver um partido eram altíssimas, considerando que os cinco viageiros, eu era a única “senhorita”.

O primeiro dia chovia com essa humidade, intensidade e temperatura própria da linda cidade e o meu filho de 16 anos pede-me que, por favor o acompanhe para comprar UM LIVRO. Aliás, três livros de una saga, em vez de pedir uma t-shirt de algum indivíduo que triunfa na Europa pelo facto de chutar valores (ou bolas?). A alegria dos adultos era imensa e a curiosidade por saber que era o que jazia após essa trilogia.

Era imperativo: a cruzada tinha de ser empreendida os lugares santos tinham de ser recuperados da leitura tomados e subjugados, várias vezes, pelo desinteresse; num jovem – como bastantes – para a leitura tem sido uma cruz durante toda a sua etapa escolar.

Mais do que uma compra qualquer esta empresa transformou-se numa façanha familiar, uma cumplicidade de um punhado de entusiastas “cavaleiros cruzados”, juntos numa tarefa cultural, única e sem precedentes. Chegamos a essa emblemática livraria em Santa Fe e não estavam… não podíamos com os nossos pés o peso dos nossos casacos empapados e da frustração eram quase equivalentes, mas no fim de unas quadras vimos luz.

Três livros de Suzanne Collins eram o bem mais apreciado do clã. E entre os bocados do jantar fomos tendo conversações em relação com “Jogos da Fome”, “Em Chamas”, e “Sinsajo”; as palavras recorrentes eram um íman que atraía mais e mais e que convidavam a ler, inquirir e interpelar os “fãs”. À manhã seguinte o tema de conversação era o primeiro volumem da Trilogia: já tinha sido objeto dos primeiros arranhões do incipiente leitor.

OS JOGOS DA FOME EM CHAMAS, SINSAJO.

Qual é a trama, o nó temático que leva a jovens a devorar estes livros?

O poder dos que unem em prol de bem comum. O concepto de nação, de centralismo ditatorial, de compromisso, de deveres e direitos cívicos, de rituais literários, de amizade a toda prova, de símbolos que se honram e respeitam… quer dizer, tudo aquilo que hoje está em causa em relação a esses jovens e que se julga e se assevera que adolescem.

A Trama

Num futuro o identificado, em “Panem”, um país localizado naquilo que costumava ser Estados Unidos, doze distritos pobres e derrotados respondem às necessidades de um rico Capitólio. Em castigo à sua rebelião cada ano um rapaz e uma rapariga de cada um dos distritos, entre 12 e 18 anos, são obrigados a participar nos “Jogos da Fome”. Os jogos que são um evento televisado onde os participantes devem lutar até à morte num estado de ar livre até que só fica um. O ganhador e o seu distrito, recebem riquezas e alimentos. A história dos distritos autónomos dedicados a diferentes atividades produtivas, dependentes desse grande “irmão mais velho” representado pelo Capitólio, refletem uma série de valores e ideias de força dos jovens do mundo e dos nossos.

Como na saga, existem formas e códigos de supervivência que dão a alguns como “vencedores” e a outros como “vencidos”. Uns têm os privilégios e os outros continuam à beira do caminho a esperar o seu turno para ver o espetáculo da vida desde o palco e não nos bastidores.

Katniss no seu desejo de honrar a aqueles que morreram a esperar essa oportunidade assume o desafio de lutar por ela e pelo seu distrito 12 (para os jovens… os seus amigos? A sua família? Os seus sonhos? A sua vida? …) e nesse devir entra num jogo de amor que leva a reflexões profundas de quanto podemos manipular os nossos próprios sentimentos e os do outro.

Um amor fictício e oportunista com Peeta dá uma virada e transforma-se numa força rebelde e literária. Esse mesmo amor que salvou a sua vida nesse inicial “Jogos da Fome” dá uma mensagem aos jovens que se “alguém” consegue torcer-lhe a mão ao destino e às leis estabelecidas, à sociedade civil também pode fazê-lo, sobre tudo se o que a mobiliza é o bem comum, as ideias de liberdade, dignidade, igualdade, participação, justiça e identidade.

Devemos ouvir a voz da juventude, esses são os temas que hoje os convocam, eles estão ávidos de segurança e de certeza de que um objetivo claro e comum pode mobilizá-los. “Os Jogos da Fome”, “Em Chamas”, e “Sinsajo” falam de um desejo social e pessoal de equidade, de justiça e de companheirismo limpo e desinteressado.

Se os jovens procuram e acreditam nisto… Porque não os ouvir e pavimentar o seu futuro? Como diz o proverbio oriental, “Se caminhas sozinho, chegarás mais rápido; se caminhas acompanhado, chegarás mais longe”

O FILME

A novela adaptou-se ao cinema e em 2012, estreou-se a primeira parte dirigida por Gary Ross, produtor e diretor americano, conhecido por escrever filmes como: Big, (“Quero Crescer”) e Dave (“Presidente Uma Vez”), e dirigir Pleasentville (1998) e Seabiscuit, esta última nominada como melhor filme nos Best Academy Award. (2003)
No final do 2013, estreou-se no Chile: “Em Chamas” Dirigida por Francis Lawrence, clips, que trabalhou com artistas como Michael Jackson, Lady Gaga, Shakira, Britney Spears e Alanis Morissette, entre outros.
Durante o 2014 será estreada nos Estados Unidos, e no final do ano, no Chile, Sinsajo, (Mockingjay), também dirigida por Francis Lawrence, Julianne Moore, Josh Hutcherson, Liam Hemsworth e Robert Knepper. Guião: Billy Ray e Suzanne Collins. Duração 90 minutos.

SUZANNE COLLINS

Americana, nascida em 1962. Iniciou a sua carreira escrevendo libretos para programas infantis de televisão. Prévio a Hunger Games, escreveu uma bem sucedida coleção de fantasia épica, que descrevia as aventuras na cidade de Nueva York.

As crónicas de Underland ou Underland Chronicles compreendiam: Gregor the Overlander, Gregor and the Prophecy of Bane, Gregor and the curse of the Warmbloods, Gregor and the Marks of Secret, and Gregor and the Code of Claw. E um livro de rimas ilustrado: “Quando Charle Button perdeu poder”. (When Charlie McButton Los Power).

Editorial Do novo Extremo. Aprox. $18.000 Livraria Antártica, Feira do Livro, Contrapunto. Tomos I e II. DVD. Aprox. $10.000 Livraria Antártida.

Rebeca Aguilera / Professora Geral Básica, Pontifícia Universidade Católica do Chile. Psicopedagoga e Licenciada em Ciências da Educação, Universidade Educares. Master em Direção e Gestão Escolar de Qualidade, Universidade do Desenvolvimento e Fundação Chile.

Deixe um comentário